ÁREA PÚBLICA: continua a desocupação na orla sul do Lago Paranoá

Operação comandada pela Agência de Fiscalização voltou à Quadra 12 para retirar edificações irregulares na Península dos Ministros


Foto: Olivar de Matos.

Mais um terreno teve construções irregulares removidas na manhã desta terça-feira (25). A operação dirigida pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) voltou à QL 12 do Lago Sul, conhecida como Península dos Ministros. Desta vez, no Conjunto 14, onde uma casa era cercada por alambrado até a beira do Lago Paranoá.

A operação começou às 11 horas com a demarcação do perímetro por parte da Secretaria de Gestão do Território e Habitação. Os fiscais iniciaram a desobstrução com o uso de maçaricos e alicates, pois os terrenos eram de difícil acesso para máquinas de grande porte. Com o caminho aberto, dois tratores menores entraram em atividade. Cercas-vivas e alambrados que estavam quase dentro da água foram ao chão.

A expectativa é percorrer mais sete terrenos durante a tarde, não necessariamente demolindo estruturas, mas demarcando os 30 metros a serem obedecidos pelos moradores.

Entulho
A equipe da Agefis manteve intactas as áreas das Embaixadas dos Países Baixos e da Alemanha, que ficam no Conjunto 12 e com edificações próximas à orla. São terrenos da União destinados ao uso dos países.

Esses locais também obedecerão os 30 metros, mas dependem ainda de negociação entre Advocacia-Geral da União, Procuradoria-Geral do DF e órgãos federais como Câmara dos Deputados e Senado Federal, entre outros.

Todo o entulho — como grades e cercas, seja de ferro, seja de madeira — é encaminhado para o Aterro do Jóquei. Caminhões do Serviço de Limpeza Urbana e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil recolhem os rejeitos após a desobstrução.

Fonte: Redação.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário