EDUCAÇÃO: Rede pública de ensino recebe novos professores

Profissionais aprovados em concurso em 2013 tomaram posse no Palácio do Buriti e assumem os cargos em 8 de setembro

Foto: Pedro Paulo.

Para reforçar a rede de ensino e substituir docentes aposentados, exonerados ou mortos, uma posse solene marcou a entrada de 240 professores na rede pública na manhã desta terça-feira (1º) que passam a compor o quadro definitivo da educação básica. Os docentes foram aprovados em concurso público de 2013, nomeados para 16 disciplinas e começam a trabalhar em 8 de setembro.

"Podemos construir uma nova era com educação de qualidade", resumiu o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. O chefe do Executivo reforçou a importância de contar com profissionais bem preparados. "Não tenho dúvidas que temos trabalhadores vocacionados, que ajudam a formar cidadãos críticos e conscientes."

O secretário de Educação, Júlio Gregório, acrescentou: "É com muito prazer que recebemos esse grupo de professores e temos certeza de que todos aqui construirão uma grande história e terão a oportunidade de vivenciar as experiências que só o magistério proporciona".

Rollemberg assinou o termo de posse com o secretário de Educação e com o professor de história Leonardo Krieger, representante dos empossados. "Vamos começar uma nova etapa da nossa vida", exclamou o profissional.

Estiveram presentes na solenidade o chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, subsecretários da Educação, coordenadores regionais de ensino e o deputado distrital Reginaldo Veras (PDT).

Na quinta (3) e na sexta-feiras (4), os profissionais participarão da posse administrativa e serão destinados a uma das 14 coordenações regionais de ensino do Distrito Federal, como estabelece cronogramadisponível no site da Secretaria de Educação. Só então será possível conhecer a quantidade dos empossados e saber quantos serão convocados para suprir a diferença. Até esta terça-feira, cerca de 200 pessoas apresentaram documentação.

Reposição
A nomeação dos profissionais foi feita em 10 de agosto, depois que o Tribunal de Contas do DF entendeu que a admissão de novos docentes poderia ser aceita nas áreas de educação, saúde e segurança, desde que cumprisse o objetivo de repor a força de trabalho em casos de exoneração, demissão, destituição de cargo em comissão, aposentadoria, morte ou perda do cargo.

O anúncio da contratação ocorreu em março. Na ocasião, o governo esclareceu aos professores que não pôde reforçar o corpo docente da rede pública de ensino antes da data porque o Executivo havia ultrapassado o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, conforme o Relatório de Gestão Fiscal do último quadrimestre de 2014.

Fonte: Redação.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário