CIGARRO: Nicotina causa diversos problemas à pele e aos cabelos

Na semana do Dia Nacional do Combate ao Fumo, especialista explica como o consumo de cigarro pode resultar em problemas dermatológicos 


A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que pelo menos um terço da população mundial adulta seja fumante. Tentando controlar essa realidade, em 1986, pela Lei Federal nº 7.488, foi criado o Dia Nacional do Combate ao Fumo, que é comemorado todo dia 29 de agosto. A data tem como objetivo reforçar ações contra danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo cigarro.

Entre os prejuízos estão os diversos problemas dermatológicos trazidos pela droga, como pele seca, nascimento de rugas e quedas de cabelo. O dermatologista Dr. Luciano Morgado, da Clínica Monte Parnaso, explica como o tabaco age caso a caso, e quais as consequências que ele traz.

Problema: Pele ressecada
Como o cigarro age: A nicotina provoca contração dos vasos sanguíneos, diminuindo a circulação sanguínea na pele, o que resulta em lesão das fibras elásticas e diminuição da síntese de colágeno. Os componentes do tabaco também estimulam os leucócitos a liberarem os chamados íons superóxidos, radicais livres que causam lesão nos tecidos.

Problema: Nascimento de rugas e marcas de expressão
Como o cigarro age: O consumo de nicotina leva à diminuição do nível de estrogênio, resultando em uma pele seca, atrófica e com piora do seu aspecto geral. O fumo também aumenta a viscosidade sanguínea, a agregação das plaquetas, e a atividade da enzima chamada elastase, o que resulta em formação defeituosa da elastina, tornando a pele mais espessa e fragmentada. Ou seja, faz a pele ficar cinzenta, atrófica e com rugas proeminentes, apresentando mais linhas ao redor dos olhos e lábios.

Problema: Câncer de Pele
Como o cigarro age: As substâncias tóxicas encontradas na droga prejudicam o sistema imune da pele e, associado aos raios solares e o contato constante com a fumaça do cigarro, é possível se tornar mais propício a desenvolver a doença. 

Problema: Queda de cabelos
Como o cigarro age: Devido ao dano na microcirculação sanguínea, o fumo leva a uma diminuição no aporte de nutrientes e oxigênio nas células, resultando em cabelos com menos viço, ressecados e com maior índice de queda.

Problema: Recuperação de cirurgias plásticas
Como o cigarro age: Devido aos danos ocasionados na microcirculação sanguínea e no sistema imune, o tabagismo aumenta o risco de infecções, deiscência de sutura (abertura dos pontos) e de cicatrizes inestéticas nas cirurgias plásticas. Como a pele apresenta uma qualidade ruim (mais cinzenta, atrófica e com menos fibras colágenas e elásticas), o resultado das cirurgias plásticas, e também dos tratamentos dermatológicos estéticos com laser costuma ser pior, com maior dificuldade de cicatrização e cicatrizes mais evidentes.

Problema: Amarelamento de certas áreas do copo
Como o cigarro age: O alcatrão presente nos cigarros também pode levar à coloração amarelada dos dentes, unhas e da pele do rosto. Após parar de fumar, a pele pode apresentar melhora gradual ao decorrer do tempo, mas as realizações de alguns tratamentos dermatológicos estéticos, como Peelings e Laser, podem acelerar esta recuperação.

Fonte: Redação.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário