SAÚDE: Iniciada a construção do Centro Especializado de Reabilitação em Luziânia

O CER está sendo construído no Setor Aeroporto e a previsão é de começar a funcionar em um ano

Foto: Aline Dias.


Foi realizada a solenidade de lançamento da obra de construção do Centro Especializado de Reabilitação - CER, que recebe o nome de Orlando Roriz, homem que participou ativamente da história do município. Foi vereador, prefeito e deputado estadual. A viúva, os filhos e netos participaram da homenagem. Durante o discurso, um dos filhos de Orlando, Leonardo Roriz, destacou o trabalho do pai pela cidade: “Essa homenagem é muito gratificante para todos nós, porque o meu pai sempre trabalhou para dar uma melhor condição de vida à população mais carente” enfatizou.


O Centro Especializado de Reabilitação vai ter 1.500 metros quadrados de construção, mais 400 metros quadrados da oficina de prótese. O local vai atender deficientes mentais, auditivos, visuais e motores. O secretário de saúde, Waterson Roriz, destacou o empenho da atual gestão em investir nessa área: “Essa é apenas mais uma obra, de tantas que estão sendo construídas, em pouco tempo estaremos inaugurando também a UPA Paulo Boni, que vai melhorar e muito a vida de quem precisa de atendimento médico”.

Várias autoridades prestigiaram o evento, o prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin, agradeceu aos vereadores e secretários pelo apoio. Destacou também a parceria com o governo federal, para a realização desta obra: “Sozinho não é possível fazer nada, agradeço aos companheiros pelo apoio dado à minha gestão”. Cristóvão Tormin salientou que em menos de três anos, a atual gestão do município tem realizado centenas de obras, como por exemplo, salas de aulas, asfalto, iluminação pública e vários parques. O prefeito disse que apesar da crise que o país atravessa, Luziânia é um exemplo a ser seguido por outros municípios do Brasil, pois segundo ele, aqui com trabalho e criatividade as obras estão sendo realizadas em beneficio da população.

 



Fonte: Redação.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário