COLUNA DIRETO DE BRASÍLIA

Coluna direto de Brasília por Paulo Roberto Melo


APROVAÇÃO
O governador de Goiás Marconi Perillo, têm aprovação de 53,8% da população...

GOVERNO DE BRASÍLIA
Está em gestação no Palácio do Buriti o novo site institucional do governo. A ideia é atualizar a página e torná-la mais acessível à população. Aos poucos, todos os endereços do GDF na internet terão de se adequar ao modelo. A divulgação do portal deve ser feita até o carnaval...

RECEITA DE R$ 2,7 TRILHÕES
O governo do Brasil insiste na lorota de que falta dinheiro para investir em segurança, saúde, educação e infraestrutura, mas a verdade é que as receitas em 2015 foram as maiores da história do País: R$ 2,7 trilhões. Nem a desculpa de descontar inflação explica a incompetência do governo, pois o valor subiu 22,7%, mais do dobro da inflação, em relação a 2014, que tinha o recorde de R$ 2,2 trilhões...

CARNAVAL
Virou notícia no mundo os efeitos “da pior recessão desde 1930” no Brasil: o cancelamento de festividades do Carnaval em vários estados e cidades do Brasil...

REFORMA
Aliados do governo suspeitam da proposta para discutir a Reforma da Previdência. Dilma não conseguiu tocá-la no primeiro mandato, quando tinha amplo apoio. Com impeachment à porta, a situação piora...

CONSELHÃO.
A resposta que a presidente Dilma preparou para o documento ‘Uma Ponte para o Futuro’, do PMDB, foi retomar as reuniões do Conselho de Desenvolvimento Social. Dilma foi orientada pelo ex-presidente Lula a mandar sinais ao mercado e tentar retomar o crescimento econômico. O ministro Jaques Wagner (Casa Civil) foi escalado para recrutar nomes para o grupo, composto por 88 membros...

DILMA RIVALIZA COM LEGISLATIVO...
Mergulhada em uma crise política sem precedência, a presidente Dilma Rousseff rivalizou, em 2015, com o Legislativo na criação de leis ordinárias, que são consideradas comuns. Das 163 novas leis criadas no ano passado, 75 são de autoria da Presidência da República, contra as 79 de Câmara e Senado somados. O Tribunal Superior do Trabalho, que não deveria legislar, aparece em terceiro, como autor de três leis...

IMPEACHMENT É POLÍTICO
O STF já havia definido, há mais de 20 anos, a ferramenta do impeachment como um instituto de conteúdo político-administrativo, apesar de ter “inegável vinculação jurídica”. O próprio ministro Celso de Mello quando julgou o Mandado de Segurança impetrado pelo ex-presidente Fernando Collor, durante seu processo de cassação, definiu o impeachment como “político-administrativo”...

SÓ 3% FORAM A TODAS AS SESSÕES
Apenas 19 deputados federais participaram de todas as 125 sessões deliberativas realizadas pela Câmara em 2015. O número representa pífios 3,7% dos 513 parlamentares da Casa. A maior parte de suas excelências dá um jeito de se justificar e não tem nenhum centavo cortado do salário...

PSDB DO SENADO
Os abacaxis que o governo Dilma descasca na Câmara nem de longe se repetem no Senado. Na maioria das vezes, em 2015, os opositores votaram a favor do Planalto: PSDB (63%), DEM (61%) e PPS (56%). Aécio Neves (PSDB-MG) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) dividem o primeiro lugar entre os opositores que mais votaram de acordo com o governo Dilma: foram 16 favoráveis e 6 contrários, ou 73% das vezes. Ao longo do primeiro governo Dilma, Aécio era um pouco menos governista. Votou com o Planalto em 68% das vezes...

OPOSIÇÃO DE VERDADE
No segundo mandato, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) é o maior opositor de Dilma. São 11 votos contra e 13 favoráveis...


BEM MELHOR
Com os ministros mais próximos de Dilma protagonizando escândalos sucessivos, quem acertou ao abandonar o barco foi o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy, nomeado diretor financeiro do Banco Mundial...

SÓ 3% FORAM A TODAS AS SESSÕES
Apenas 19 deputados federais participaram de todas as 125 sessões deliberativas realizadas pela Câmara em 2015. O número representa pífios 3,7% dos 513 parlamentares da Casa. A maior parte de suas excelências dá um jeito de se justificar e não tem nenhum centavo cortado do salário.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário