Diego Sorgato o candidato mais pobre de Luziânia

Em 2008 ele declarou ao TSE um celular de 200 reais, nessa candidatura a deputado ele vendeu o celular. 



Ele é filho de família tradicional e rica de Luziânia, herdeiro político de Cristóvão Tormim, ocupante de vários cargos públicos na cidade, como: Vereador, Secretário de Cultura e Desporto, secretário de Esporte e Lazer e Secretário Extraordinário de Administração do Jardim Ingá.


Desde que foi eleito vereador (2008) nunca ficou um dia se quer fora de um cargo público, seis anos recebendo os altíssimos salários de Luziânia. Ainda assim declarou ao TSE não possuir património. 

Atualmente o salário de vereador é em torno de R$ 10 mil e o de secretário R$ 13 mil. Levando-se em conta que o candidato tenha recebido apenas R$ 8 mil todo mês nos últimos 6 anos, sua conta pessoal recebeu algo em torno de R$ 624 mil reais. Mais de meio milhão.

Porque então a declaração de bens do candidato junto ao TSE é R$0,00 ? Será um mau administrador? Perdeu tudo com jogos? Doou aos pobres? ou será que faltou honestidade?

Detalhe: O limite de gastos com a campanha do candidato pobre será de 4 milhões de reais.

Veja página do TSE:




Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário