Candidatos ao GDF participam de debate na TV Globo

Agnelo, Rollemberg, Frejat, Pitiman e Toninho foram os convidados.

Programa foi dividido em quatro blocos de perguntas e considerações finais.



Os cinco candidatos ao governo do DF que pertencem a partidos com representatividade na Câmara dos Deputados participaram na noite desta terça-feira (30) de debate nos estúdios da TV Globo de Brasília. Foram convidados o atual governador, Agnelo Queiroz (PT), o senador Rodrigo Rollemberg (PSB), o deputado Luiz Pitiman (PSDB), Toninho do PSOL (PSOL) e Jofran Frejat (PR).

O debate foi dividido em quatro blocos. Na primeira parte, cada postulante ao Buriti escolheu um tema e fez uma pergunta a um candidato. No segundo bloco, os temas das questões foram sorteados pelo mediador, Antônio de Castro.

No terceiro bloco, o tema foi livre. O quarto e último bloco de perguntas teve tema definido por sorteio, a exemplo da segunda parte do programa.

Primeiro bloco
Rollemberg iniciou o debate questionando Agnelo sobre educação integral. O petista respondeu que esse modelo de ensino existe em 332 escolas do DF.

Agnelo perguntou a Frejat qual a proposta dele para os jovens aprendizes. O candidato do PR disse que quer retomar o programa bolsa universitária, que dá recursos para o estudante cursar uma faculdade.

Pitiman perguntou a Toninho sobre o plano para segurança e combate ao tráfico de drogas. O candidato do PSOL disse que pretende implantar políticas de prevenção, caso seja eleito, e declarou que dependentes químicos não devem ser tratados como criminosos.

Toninho perguntou a Pitiman se ele é a favor do financiamento público de campanhas. Pitiman disse entender que esse modelo ajudaria a regular as disputas eleitorais e defendeu uma reforma política.
Candidatos ao governo do DF posicionados para debate da TV Globo nesta terça-feira (30) 
 (Foto: Gabriel Souto/TV Globo)

Frejat perguntou a Rollemberg sobre a proposta para evitar falta de médico e falta de remédios. Rollemberg disse que o primeiro investimento será a contratação de 4.785 equipes de saúde da família e 2,5 mil novos servidores.

Segundo bloco
Agnelo perguntou a Frejat o que ele acha da sua proposta para implantar o domingo da família, com viagens gratuitas no segundo domingo do mês. O candidato do PR disse que a população continua a reclamar do sistema de transporte e que vai ampliar o número de ônibus, caso seja eleito.

Frejat perguntou a Pitiman o que ele vai fazer para gerar empregos. O candidato do PSDB disse que pretende investir nas vocações regionais. Segundo ele, o DF tem vocação para ser um polo atacadista e farmacêutico.

Pitiman perguntou a Rollemberg qual seu programa para investir em infraestrutura. O socialista disse que o caminho é fortalecer as empresas e públicas, como Caesb. Terracap e Novacap, e defendeu uma nova forma de gestão, para que as companhias tenham capacidade de captar recursos federais e investir em projetos.

Toninho perguntou a Agnelo como ele vai solucionar o problema das faltas de professores. O atual governador disse que extinguiu 4 mil vagas comissionadas e abriu 35 mil vagas em concurso público, que investiu R$ 700 milhões na CEB e também modernizou o BRB. Ele afirmou ainda que vai ampliar o metrô.

Rollemberg questionou Pitiman sobre proposta para a segurança pública. O candidato tucano disse que a segurança sofre com a "falta de pulso do comando" e que o DF precisa de uma polícia comunitária mais ligada ao cidadão.

Terceiro bloco
Pitiman perguntou a Frejat qual seu planejamento para fazer a máquina pública atender aos anseios da população. Frejat disse que no primeiro dia de governo pretende "tomar medidas duras" na administração, como acabar com a Agefis.

Frejat questionou Toninho sobre sua proposta para educação. O candidato do PSOL disse defender a escola integral e melhoria salarial para os professores da rede pública. Ele afirmou que pretende repor todas as perdas salariais dos últimos anos.

Toninho perguntou a Agnelo o motivo para a saúde não ter evoluído durante sua gestão. O petista disse que assumiu o governo com a área de saúde em "estado de calamidade", que contratou 15,8 mil profissionais da área de saúde, seis UPAs, contratou as carretas da Mulher e a da Visão, e que quer ainda tem de fazer 14 UPAs.

Agnelo questionou Rollemberg sobre a proposta do bilhete único no transporte público. O candidato do PSB disse que os passageiros vão pagar apenas uma passagem para fazer várias viagens. Ele disse que o novo sistema de transporte não atende as necessidades da população.

Rollemberg questionou Toninho como ele vê o desenvolvimento nos segmentos de ciência e tecnologia e cultura. Para o candidato do PSOL, o DF tem uma vocação natural para as áreas de ciência e tecnologia. Ele defendeu investimentos em cultura e arte.

Quarto bloco
Frejat perguntou a Agnelo a respeito do repasse do Pdaf às escolas. Agnelo disse que foi ele que aumentou o repasse para as escolas, que podem usar as verbas de forma descentralizada.

Rollemberg questionou Pitiman sobre sua proposta para a população do Entorno do DF. O candidato do PSDB respondeu que o DF tem de integrar ações com o governo de Goiás e com a União para que a população do Entorno seja atendida.

Toninho perguntou a Rollemberg se ele revisaria o atual plano diretor do DF. O candidato do PSB defendeu um resgate da capacidade de planejamento do DF. Ele disse que vai recriar o Instituto de Planejamento Territorial do DF, caso seja eleito, para planejar a ocupação do solo e garantir qualidade de vida.

Agnelo perguntou a Pitiman qual a sua proposta para a área de saúde. O tucano disse que pretende fazer um novo modelo de gestão da saúde, com o quadro de médicos exposto nas unidades da rede pública.

O candidato do PSDB questionou Frejat sobre sua proposta em relação ao direito à moradia e invasões. O candidato do PR disse que é preciso regularizar todos os condomínios do DF, providenciando infraestrutura sanitária e impedindo novas invasões.

Considerações finais
O candidato Toninho abriu as considerações finais dizendo que o DF é um local de "diferenças profundas". Afirmou que, se eleito, vai defender o controle e a transparência das ações do governo.

Pitiman disse que dá valor à família e convidou o eleitor a "pregar uma peça aos políticos profissionais" e escolhê-lo como novo governador do DF. O candidato do PSDB agradeceu a participação de apoiadores e disse que espera ir para o segundo turno da eleição.

Frejat citou sua experiência como quatro vezes secretário de Saúde e cinco vezes deputado federal. Ele disse que construiu postos de saúde e hospitais e afirmou que a população carente precisa de saúde pública de qualidade. Também afirmou que fez a Escola Superior de Ciências da Saúde e que pretende continuar o trabalho.

Rollemberg agradeceu em suas considerações finais aos seus eleitores e disse que pretende construir soluções para os problemas do DF com a ajuda da população. Ele afirmou que vai começar suas ações de governo com as pessoas mais humildes, mais necessitadas.

Último a fazer as considerações finais, o candidato Agnelo afirmou que pegou a cidade suja e abandonada e que "gastou um ano e meio de dedicação para botar a casa em dia". Ele também disse que fez mais obras durante sua gestão do que "qualquer governo em qualquer área". Agnelo citou sua propostas para uma próxima gestão.







Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário