Preocupação com a falta de chuva

A falta de chuva que castiga o Distrito Federal se alastra pelo país e deixa 908 unidades da Federação em situação de emergência ou de calamidade pública nos 21 primeiros dias do ano, segundo o Ministério da Integração Nacional. Por enquanto, Brasília ou cidades do Entorno não estão nessa situação. Porém, se não tratada como deve, a estiagem prolongada na capital pode gerar séproblemas de abastecimento, como o observado em São Paulo, pois a previsão é de pouca chuva pelo menos até o fim do mês.


Em declínio desde o ano passado, o nível do reservatório do Sistema Cantareira, que leva água a 7 milhões de pessoas na Grande São Paulo, teve ontem a nona queda seguida no mês e passou a operar com 5,6% do volume. As torneiras secas, no entanto, vão além da explicação climática e passam por problemas de gestão. Neste ano, a região recebeu apenas 22% do total de precipitações esperadas para a época.


O alerta sobre o problema de abastecimento, no entanto, ocorre desde a metade de 2014. “Os reservatórios estão com dificuldades de se manter em níveis seguros há muito tempo. Houve um erro de gestão porque as previsões indicavam que haveria problemas de seca, então, deveriam ter tomado atitudes com planejamento”, afirma o professor de ciências geográficas da Universidade Federal de Pernambuco Ranyere Nóbrega. Segundo ele, incentivar o consumo racional e cobrar uma taxa do consumidor que gastar mais do que a média dos últimos 12 meses, adotadas em São Paulo, deveriam ter ocorrido antes.

Fonte: Redação.

Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário