Gama joga favoritismo para o rival

Vantagem no regulamento e jogos a mais no Mané são trunfos do rival



Dois mil e seis. O ano, que faz parte de um passado já distante para a Sociedade Esportiva do Gama, diz respeito à última vez que o Periquito decidiu um campeonato no Mané Garrincha. Um empate sem gols diante do arquirrival Brasiliense sepultou as chances de conquistar o título local na ocasião, que ficou com o Jacaré. 

A partir de amanhã, o Alviverde terá a oportunidade de, mais uma vez, levantar o caneco no maior palco do futebol local. A questão é que, se o Gama não está habituado a jogar no espaço, o adversário, o Brasília, con hece bem os atalhos do palco de sete jogos na Copa do Mundo. Enquanto o Alviverde fez apenas uma partida no Mané Garrincha, contra o Brasiliense, no Candangão do ano passado, o Colorado jogou quatro embates decisivos no local, em disputas de Candangão e de Copa Verde. 

Além disso, o Brasília ainda joga com a vantagem do regulamento. Precisa de dois resultados iguais para conquistar o certame local, por ter feito a melhor campanha entre os 11 times da competição, enquanto o Gama ficou com a vice-liderança. 

Para o elenco do Gama, esse passado recente não torna o Alviverde o azarão do confronto. Os jogadores reconhecem que o Brasília é favorito por ter a vantagem dos resultados, mas nada que seja impossível de reverter já neste sábado, quando o mando de jogo é do Gama.

“Eles são favoritos por terem a vantagem e sabemos que eles fizeram ela valer contra o Luziânia. Eles têm jogado aqui mais vezes nos últimos anos, mas agora chegou a hora do Gama. O estádio vai estar todo verde”, garante o volante Baiano.

Para o atacante Rodrigo Grahl, o Colorado sai como favorito. O experiente jogador prefere manter os pés no chão e tentar surpreender o time rival.

“A gente passa o favoritismo para eles. Eles são atuais campeões da Copa Verde e no ano passado fizeram a final com o Luziânia. Cabe a nós, com os pés no chão, tentar com todas as nossas forças conseguir um resultado positivo nesse primeiro jogo”, sentencia.

Saiba mais

Apesar de ter chegado à decisão do Candangão depois de quatro anos de ausências, o Gama já tem motivos para se preocupar logo no primeiro jogo da final.

Isso porque o goleiro Pereira terá de cumprir suspensão automática na partida de amanhã, por conta do acúmulo de cartões amarelos.

O substituto será André Ferlini, que chegou ao time Alviverde nesta temporada.

Pereira é o único desfalque do Gama.

Brasiliense anuncia a barca de 2015

Com o fim do Candangão, devido à eliminação ainda na fase semifinal da competição, chegou ao fim também o ano do Brasiliense. Como esperado, a barca amarela já começou a navegar. 

Desde o início da semana, já foram nada menos que cinco jogadores dispensados. Nem mesmo atletas com grande identificação com a torcida e o próprio clube escaparam da guilhotina no Brasiliense.

Ontem, foi a vez de o goleiro Guto dar adeus ao time de Taguatinga. Ao todo, foram oito anos defendendo as cores da agremiação, em um total de 213 partidas, incluindo a última, contra o Gama, que decretou a eliminação do time do Candangão deste ano. Sem o título, o clube ficou sem calendário para 2015.

Além do arqueiro, quem também deu adeus ao Brasiliense foram o volante Ederson, o lateral-direito Dedê e o meia Allann Delon e o atacante Luiz Carlos.

Ingressos à venda

Para a primeira partida da decisão do Candangão, serão disponibilizadas 27 mil entradas. O número equivale à capacidade dos aneis inferior e intermediário do Mané.

Os ingressos já estão à venda em pontos físicos. Um deles é a Gama Store, no Gama Shopping. O outro é a Bilheteria Digital, no Pátio Brasil. Entradas também podem ser adquiridas online, pelo site www.bilheteriadigital.com.br. Os valores variam entre R$ 40 (anel inferior) e R$ 100 (anel intermediário), valores de inteira.


Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário