Programação dos 55 anos de Brasília

De hoje (15) até o início de maio, espaços públicos e privados serão tomados por muita cultura, lazer, gastronomia e esporte. Veja tudo o que vai rolar no aniversário da capital


"Com toda a simplicidade que o momento pede, mas com toda a pompa que a cidade merece." Assim o secretário de Cultura, Guilherme Reis, resumiu como será a comemoração dos 55 anos de Brasília. Devido aos problemas financeiros enfrentados, o governo não pôde investir muito na festividade. O que não se tornou um problema. "Nós provocamos e fomos provocados por muita gente. Eles fizeram as propostas, nós só organizamos", disse Reis.

O resultado são shows musicais, peças de teatro, mostras de filmes, competições esportivas, entre outras opções, de hoje (15) até o início de maio. A programação completa terá 57 eventos em 27 locais diferentes. Grande parte dela será feita com recursos do Ministério da Cultura e patrocínios do Banco do Brasil, do Banco de Brasília (BRB), da Petrobras, da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) e do Sistema Fibra. Além disso, haverá participação de artistas voluntários e daqueles que se apresentarão como contrapartida a recursos recebidos por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC).

A programação foi anunciada na manhã desta quarta-feira (15), em entrevista coletiva no Palácio do Buriti. Estiveram presentes os secretários de Cultura, Guilherme Reis, do Esporte e Lazer, Leila Barros, e de Turismo, Jaime Recena, além do administrador regional do Plano Piloto, Igor Tokarski.

Música
Não existe festa sem música e isso foi levado bem a sério. Diversos gêneros serão representados de 17 a 24 deste mês. Uma das atrações é o Baile do Almeidinha, projeto de gafieira do bandolinista e compositor Hamilton de Holanda. Exatamente na data do aniversário, 21 de abril, ele levará o baile à Torre de TV e terá como convidadas as cantoras Ellen Oléria e Rosa Passos.

No mesmo dia, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro relembrará trilhas sonoras de filmes e fará um espetáculo com participação do violonista Roberto Corrêa. No dia 22, haverá outra apresentação da orquestra com o Duo Assad, em homenagem aos 50 anos da dupla, formada pelos irmãos Sérgio e Odair, que têm uma importante carreira internacional.

Ainda na música instrumental, o quinteto de metais Brasília Brass divertirá o público com um repertório diversificado em 17 de abril. Outro quinteto do dia é o Brazilian Blues Band, nascido nas ruas e nos bares do Guará em 1994. Também integra a programação de sábado a banda Lady Laura, que surgiu a partir da ideia de revisitar canções de Roberto Carlos, principalmente aquelas inspiradas no blues e no rock.

A ciranda de Lia de Itamaracá terá espaço nas festividades do aniversário de Brasília, quando será lançado um videoclipe da pernambucana. Do mesmo estado nordestino, virá o grupo cultural indígena Walê Fulni-ô, formado há 16 anos no município de Águas Belas. Os cantores e dançarinos fazem parte da única tribo do Nordeste que ainda mantém a língua nativa. Aqui, eles mostrarão ao público o repertório de um DVD e dois CDs. Esses shows também serão no dia 17.

Participará ainda dos 55 anos de Brasília, no dia 18, a banda de percussão Maria Vai Casoutras, que tem sede na capital e é formada exclusivamente por mulheres. Do samba, um dos representantes durante a programação será Marcelo Café, no dia 19. Carioca, ele veio para Brasília com 10 anos de idade e iniciou a carreira em Ceilândia.

A dupla Volmi Batista e Aparício Ribeiro também dará uma palhinha para os brasilienses no dia 17. Mineiros residentes na capital federal, eles se encontraram por acaso e se uniram pela causa da viola caipira. A criação do Clube do Violeiro Caipira foi uma das ações da dupla para manter, valorizar e divulgar a música caipira no Brasil.

Cinema
De 17 a 21 de abril, a mostra Cinema Capital terá sessões às 19 h e às 21 h no Cine Brasília. Abre o evento o documentário Braxilia, dirigido por Danyella Proença e do qual participa o poeta-personagem Nicolas Behr.

Também no dia 17, a mostra exibe o documentário A cidade é uma só?, do diretor ceilandense Adirley Queirós — que levou o troféu de melhor longa-metragem de 2014 no Festival de Brasília com Branco Sai. Preto Fica.

Outros documentários são Athos, sobre o artista plástico Athos Bulcão, no dia 19; e Bianchetti, sobre o também artista plástico Glênio Bianchetti, no dia 20. O primeiro é dirigido por Sergio Moriconi; o segundo, por Renato Barbieri. A mostra terá ainda filmes de ficção, comédia e drama.

A sétima arte também ganhará espaço na área externa do Panteão da Pátria, na Praça dos Três Poderes, onde serão projetados os clássicos Sinal da Cruz, às 19 h do dia 17, e Casablanca, no mesmo horário do dia 24. O local será transformado em tela de cinema, com direito a pipoca grátis. As exibições fazem parte do projeto Cine Clube Sesc, promovido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc).

Teatro
A Funarte e a Torre de TV serão palco, entre 17 e 21 de abril, de Brasília, Brasília! Para crianças, O Romance do Vaqueiro Benedito, Os Dez Mandamentos da Capital e O Auto da Compadecida, além da óperaAssim são Tod@s.

Brasília, Brasília! Para crianças é um espetáculo dirigido principalmente aos públicos infantil e infantojuvenil. Narra, por meio de várias linguagens — vídeos documentais e em animação, bonecos gigantes, canções eruditas e executadas ao vivo com clarineta, pandeiro, violão, atabaque e outros instrumentos musicais —, um importante capítulo da história do País: da construção à inauguração de Brasília.

A história do amor proibido de Benedito e Margarida é o tema do teatro de mamulengos O Romance do Vaqueiro Benedito. O espetáculo é uma criação premiada do palhaço e ativista Chico Simões, pesquisador das culturas tradicionais.

Os Dez Mandamentos da Capital retrata a saga de um grupo insatisfeito com o modelo de cidade que aprisiona sentimentos e afetos. O espetáculo teve indicação no Prêmio Açorianos 2013 para melhor dramaturgia.

Apresentado pelo Grupo de Pesquisa Cênica do Sesc-DF, O Auto da Compadecida foi adaptado para apresentações ao ar livre, utilizando elementos da arte circense, da dança, do circo-teatro, da música.

Exposições
Dez exposições, em diversos pontos da capital, vão relembrar a história de Brasília durante seus 55 anos de existência. Entre elas, a volta de Brasília, a Cidade que Inventei à Praça dos Três Poderes. Composta por fotografias, fragmentos de texto e croquis (rascunhos), a exposição mostra ao público fotos curiosas, como a primeira imagem do Marco Zero, ponto geográfico onde os dois eixos da futura cidade se cruzariam — a atual Rodoviária do Plano Piloto.

Brasília 57: Uma saga do século XX reúne 111 fotos do sueco Ake Borglund que resgatam a memória da construção da capital. O trabalho mostra o clima de ruptura que havia na época, além do cotidiano de operários que levantaram os primeiros prédios.

A exposição Memórias Femininas da Construção de Brasília possui um acervo inédito de documentos, fotos e objetos pessoais de pioneiras que aceitaram o desafio de vir para uma cidade ainda em formação. Hoje (15), às 16 h, os organizadores promovem o Chá da Memória, no Salão Negro do Congresso Nacional, em que várias mulheres contarão experiências do período. E no dia 21, às 17 h, haverá um desfile com roupas usadas na inauguração de Brasília e nos eventos sociais da década de 1960.

Esportes
Corrida de rua, maratona, natação, golfe, sinuca, regata. Os brasilienses terão diversas opções esportivas nos próximos dias. E tudo de graça. Para quem não quer apenas assistir, a Secretaria do Esporte e Lazer abre, nesta quinta-feira (16), as inscrições para a primeira etapa do Circuito de Corrida de Rua. São esperados mil participantes.

Outros eventos
Na Praça Zé Ramalho da Vila Planalto, o primeiro Palco Aberto da Vila prevê a apresentação gratuita de 26 atrações variadas de circo, dança, música, poesia, teatro e contação de histórias.

O Pontão do Lago Sul também preparou uma programação especial para os 55 anos de Brasília. Além de música com as bandas Concerto dos Fuzileiros Navais, FuziJazz e Maria Vai Casoutras, haverá plantio de mudas e entrega de 12 bicicletas para policiamento ciclístico.

Parceria do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) com o jornal Correio Braziliense, o projeto Retrato Brasília mostrará o comportamento de quem mora aqui: os padrões culturais e a ocupação das ruas pelos brasilienses, tanto no Plano Piloto quanto nas demais regiões administrativas. Isso acompanhado de uma vasta programação artística e gastronômica.

Também celebrando o aniversário da capital, o projeto PicniK chega à terceira edição. A programação no Parque da Cidade inclui workshops, espetáculos circenses, teatro, música e gastronomia.

Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário