CONSTRUÇÃO: Dicas para economizar na reforma do imóvel

Ferragens Pinheiro recomenda listar os materiais necessários e, dessa forma, acionar o serviço de consultoria para identificar as melhores condições de preço e qualidade

Foto: Aline Dias.

O clima seco e quente propicia a disseminação de doenças, sobretudo quando as condições físicas do imóvel estão precárias, favorecendo uma série de problemas para a saúde dos moradores. Diante desse quadro, os proprietários de imóveis passaram a investir cada vez mais em melhorias para o lar – a primeira medida adotada é a reforma da casa.

Quem não tem um planejamento adequado ou falta dinheiro para investir na benfeitoria do imóvel, pode acionar diretamente os serviços de consultoria das empresas de materiais de construção. Esse serviço inédito no Distrito Federal é oferecido pela Ferragens Pinheiro.

“A minha principal recomendação é que o consumidor utilize o serviço de consultoria para prevenir gastos desnecessários ou dores de cabeça durante a obra. Todo e qualquer procedimento, por menor que ele aparente ser, deve ser feito com cuidado”, avalia Janine Brito, diretora-executiva da Ferragens Pinheiro.

Cerca de 54% da população economicamente ativa já construiu ou reformou o imóvel. Os dados foram revelados em um balanço publicado pelo Instituto Datafolha no início deste mês. Foram entrevistadas 2.419 pessoas e mais de 85% dos entrevistados afirmaram que não se preocupam em buscar consultoria especializada na hora da reforma. Este é um dos principais erros apontados por especialistas como causa do custo alto das obras.

Segundo Janine, o consultor tem a função de sugerir os materiais de construção mais adequados para a reforma, indicando todos os caminhos possíveis na tomada de decisão. “É uma espécie de atendimento personalizado que analisa os prós e contras do uso de um determinado material no projeto, visando a qualidade, custo baixo e o mínimo de imprevistos”, orienta.

5 dicas para uma reforma economicamente viável 

1. Solicite informações como formas de pagamento, taxas de juros aplicadas, descontos para preço à vista, prazo de entrega, e se o frete para a entrega é cobrado a parte ou está incluso;

2. Os produtos devem assegurar informações corretas e precisas sobre suas características, qualidade, quantidade e prazo de validade, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores;

3. Se fizer negócio, exija que a loja separe e marque como já vendido os itens de estoque que você solicitou. Verifique ainda se o produto continua em linha de produção ou catálogo;

4. Se organize e planeje. Quais materiais serão necessários para o momento inicial? Você pode listá-los e adquiri-los de acordo com o andamento da obra;

5. Pesquise antes da compra: preços, marcas, qualidade e durabilidade.

Fonte: Redação.
Compartilhar

Por: Movimento dos Comunicadores do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário