História

Por volta de 1749, nas proximidades do Córrego Cortado, surgiu um pequeno povoado, formado por bandeirantes e tropeiros que buscavam estabelecer sesmarias na Capitania de Goiás, este foi o primeiro pouso do homem branco nas futuras terras da cidade de Taguatinga,[livro 1] antes ocupada por indígenas do tronco linguístico macro-jê, como os acroás, os xacriabás, os xavantes, os caiapós, os javaés, etc. No entanto, alguns desses aventureiros se fixaram animados pela possibilidade de ouro e diamantes, próximo ao Cortado. Às margens do mesmo córrego foi instalada a sede da fazenda Taguatinga, de propriedade de Gabriel da Cruz Miranda.[livro 1] Em 1781, a fazenda Taguatinga foi vendida a Antônio Couto de Abreu, filho do Bandeirante Urbano Couto e Menezes.

A consolidação da cidade se deu bem mais tarde, quase 2 séculos após esse período, gerada principalmente pelo grande contingente populacional atraído pela construção de Brasília. 

Com a transferência da capital do Brasil para o interior do país, muitos operários se deslocaram de todas as regiões para construir a nova capital, no entanto, resolveram fazer ali também sua morada. Mas como, eram pobres, invadiram terras e construíram barracos, revelando para um país que cria em seu rápido desenvolvimento a realidade de pobreza em que vivia sua população. 

Para conter as invasões constantes em terras próximas da capital, foi criada a cidade de Taguatinga, em 5 de junho de 1958, em terras que anteriormente pertenciam à Fazenda Taguatinga. Inicialmente, a cidade se chamava "Vila Sarah Kubitschek" mas, depois, seu nome foi alterado para "Santa Cruz de Taguatinga", permanecendo apenas Taguatinga. Não raro, é chamada pelos habitantes locais simplesmente de "Taguá". 

Alguns meses depois dos primeiros moradores terem se mudado para Taguatinga, já funcionavam no local, escolas; hospitais; estabelecimentos comerciais, etc. Era o princípio do povoamento da primeira então cidade-satélite de Brasília. 

Taguatinga desenvolveu-se especialmente em função do comércio e dos empregos que sua população obtinha. Tornou-se um importante centro comercial dentro do Distrito Federal e polo de atração para a população das cidades próximas, abrigando shopping centers de grande porte. Taguatinga, atualmente, é uma das regiões mais ricas do Distrito Federal, sendo considerada a capital econômica do Distrito Federal.[livro 1] Algumas regiões administrativas que antigamente faziam parte da região administrativa de Taguatinga são: Ceilândia, Samambaia, Águas Claras e Vicente Pires. 

A padroeira da cidade é Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cuja festa litúrgica se dá em 27 de junho.

0 comentários:

Postar um comentário